A cirurgia de catarata é um dos procedimentos médicos mais realizados do mundo, perdendo apenas para o parto/cesárea.

É um procedimento seguro e indolor. A cirurgia não necessita de internação e é feita com anestesia local (colírios anestésicos). O procedimento consiste na cuidadosa aspiração do cristalino opaco (catarata), realizada através de uma microinsição na córnea (aproximadamente 2,2 -2,75 mm), por uma caneta de facoemulsificação (ultrassom). Após esta etapa, faz-se necessário o implante de uma lente intraocular artificial para restaurar a visão. Estas lentes, podem corrigir o grau do paciente para longe e eventualmente para perto (lentes multifocais). A correção do astigmatismo também é possível através das lentes tóricas.

É fundamental o implante de lentes de qualidade, já que esta é definitiva. Geralmente os pacientes conseguem ficar independentes dos óculos para longe após a cirurgia, e atividades como dirigir e assistir TV, podem ser feitas sem o auxílio dos óculos.

A recuperação da cirurgia é rápida. Em poucos dias (alguns casos em poucas horas) a visão volta ao normal. É recomendável que o paciente não faça esforços físicos nos primeiros dias da cirurgia, evitando abaixar a cabeça, dormir sobre o lado operado e coçar/apertar os olhos.

A cirurgia não é um procedimento simples, trata-se de uma micro cirurgia ocular delicada, que deve ser feita por especialistas. As taxas de sucesso são superiores a 98%, porém em uma pequena parcela dos casos, podem ocorrer intercorrências (complicações) que podem levar a sequelas.

  • E a cirurgia de catarata à laser?

    Apenas recentemente (2010), as primeiras etapas da cirurgia de catarata podem ser feitas a laser (laser de femtosegundo). O laser aumenta a precisão e a segurança do procedimento. Ele substitui as mãos do médico em algumas etapas cruciais da cirurgia (incisão, criação da abertura da cápsula anterior do cristalino e fragmentação da catarata), porém, outras etapas são realizadas da maneira convencional (facoemulsificação). O custo da cirurgia é mais elevado com esta técnica e os estudos tem demonstrado resultados semelhantes com a técnica tradicional. Os convênios médicos ainda não cobrem a cirurgia de catarata à laser.

1. Pequena abertura na cornea (2,4 mm).

2. Aspiração da catarata com a caneta de facoemulsificação.

3. Aspecto final, com a lente intraocular implantada e a cirurgia sem pontos.

Dr. Rodrigo Espíndola
Oftalmologia


Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). Membro da Sociedade Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (BRASCRS).



Agende sua consulta
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar